Divagando Devagar

Divagações ocasionais de uma mente reflexiva.

Coisas que sobram 2 junho, 2008

Filed under: Úbere — INEFFABILE @ 10:24 pm

Ela levou tudo que eu tinha
Não deixou nada
Carregou os potes de mantimentos
E dentro
Sal, pimenta, cominho e coentro

Da parede retirou os quadros
Os livros do armário
As pobres imagens do santuário
Do quintal foram empilhados jarros, plantas e roupas do varal
Não ficou nada
Calcinhas, camisas, lençóis nem fraudas

Não poupou a panela de pressão
Muito menos o fogão e o botijão
A televisão foi a primeira que sumiu
Achando pouco
Como maldade derradeira
Pegou até a geladeira

Deixou muita coisa que não cabe em nenhum caminhão
Minha poesia que jamais considerou elegante 
Ficou como sobra para alimentar o cão
Esqueceu de se preocupar com o mais importante
Minha companhia e minha paixão
Que se perderam como migalhas pelo chão.

 

Por Deribaldo Santos
Junho de 2008

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s