Divagando Devagar

Divagações ocasionais de uma mente reflexiva.

Carmen est à Paris I 22 outubro, 2008

Filed under: Meu Querido Blog... — INEFFABILE @ 10:37 am

Há uns dois ou três meses uma grande amiga da época do colégio que hoje em dia vive em Paris, me convidou para passar uns dias lá com ela. Eu dei uma olhada rápida nos preços de passagens e terminei encontrando uma promoção imperdível. No dia 20 de Outubro eu parti do centro de Londres para o centro de Paris de trem. Na estação Gare du Nord a minha espera estava Luanda, quem eu não via desde a primavera do ano passado.

Luanda mora na capital francesa desde 2000. Ela saiu do Rio de Janeiro a convite do governo francês para especializar-se em canto barroco no Conservatório de Música de Paris. Após alguns anos, ela mudou-se para a Alsácia, no leste do país, onde estudou no Conservatório de Strasbourg.  Hoje em dia ela está de volta à Paris e vive a melhor fase da sua carreira de soprano até o momento.

O principal motivo da minha visita a Lu foi um concerto que ela faria em Strasbourg no dia 24. Seria a primeira vez que eu a veria cantar ao vivo. Desde o dia em que comprei as passagens para esta viagem, eu não consegui pensar em outra coisa a não ser conhecer um pouco do mundo musical no qual a minha amiga vive. Há duas décadas eu a conheci tocando piano nos eventos culturais da nossa escola no Rio.

Da estação seguimos diretamente para o seu apartamento também no centro da cidade. Em sua sala encontrei um lindo piano, um violão, inúmeros livros e pinturas. Eu ousei tocar algumas canções que lembrava de ouvido no piano. Na verdade, eu não sei tocar instrumento algum, mas sempre me meto a tentar por pura diversão. Com alguma sorte, às vezes consigo tirar umas notas afinadas. Lá pelas tantas a Lu me apresentou à sua nova paixão: a dança flamenca. Ela começou a ter aulas faz apenas dois meses, mas se entregou à prática com tanta paixão, que quando ela se movimenta parece que o ritmo da música toma conta do seu corpo.

Luanda me mostrou trechos do filme “Carmen” do diretor espanhol Carlos Saura. O filme é uma versão moderna da ópera “Carmen” de Georges Bizet e é cheio de coreografias flamencas incríveis estreladas pelos dançarinos Antonio Gades, Laura del Sol, Cristina Hoyos e outros. Paco de Lucía interpreta a si mesmo e se encarrega de empolgar o elenco e certamente o espectador também com o seu violão apaixonado.

Enquanto assistia às cenas selecionadas pela minha amiga, ela me contava a história de Carmen, que é ao mesmo tempo uma história de amor e de tragédia. Eu ouvia os detalhes com espanto, pois até aquele momento eu só tinha conhecimento de que “Carmen” era uma história de amor. Eu desconhecia totalmente a tragédia que sucedeu as suas paixões.

Carmen passou a ser uma revelação que me provocou grande tristeza, porque “Toreador, En Garde” foi a música que escolhi para tocar na cerimônia do meu casamento, quando fui conduzida ao altar pela minha mãe.