Divagando Devagar

Divagações ocasionais de uma mente reflexiva.

A Sexualidade dos Outros 19 maio, 2009

Filed under: Rotineiras — INEFFABILE @ 5:51 pm

1. Em uma danceteria inglesa lotada, busquei a mão de minha irmã para que não nos perdessemos uma da outra, quando, para minha surpresa, encontrei  algo de textura e forma de um pênis! Um homem dançava entre nós sem que tivéssemos notado, com um sorriso no rosto e seu pênis (ereto) livre, leve e solto à mostra. Minha irmã percebeu a situação alguns segundos depois de mim e ficamos as duas sem ação por algum tempo, até que a figura se tocou e saiu fora rapidinho. Eu e ela não acreditamos por alguns instantes, mas momentos mais tarde quando a ficha caiu, era tarde demais para dar um chute nos ovos do desgraçado.

2. Eu estava sozinha caminhando no final da tarde em uma praça em Havana. Um homem passou por mim de bicicleta e assobiou. Não dei trela porque no Brasil esse tipo de coisa é comum para qualquer mulher. Ele parou a sua bicicleta mais adiante e começou a se masturbar na minha frente. Discretamente e fingindo que não o estava vendo, comecei a olhar ao meu redor com esperança de encontrar uma outra viva alma. Não vi ninguém. Dei meia volta e acelerei o meu passo. Quando olhei para trás, o homem havia ido embora.

3. Observando mais um pôr do sol na Praia do Futuro (Fortaleza) um homem estrangeiro muito bonito se aproximou de mim e perguntou se podia sentar ao meu lado. Eu respondi que não. Estava mesmo a fim de ficar só com os meus pensamentos. Descontente com a investida sem sucesso, ele resolveu ir direto ao ponto: “quanto você cobra por hora?’.

4. Era noite de lua cheia e eu estava com minhas amigas em um lual na praia. Em um dado momento fui ao banheiro de uma barraca. Estava ajeitando o cabelo no espelho, quando uma mulher me empurrou contra a parede e tentou me beijar. Dei-lhe um empurrão de volta e saí fora.

5. Um amigo meu é viciado em sexo. É casado, tem filhos, mas é abertamente infiel à sua mulher. Da última vez que nos falamos, ele me contou que havia decidido buscar por ajuda psicológica.

6. Muitos dos meus amigos, principalmente os biólogos, parecem crer que a infidelidade do homem é tão normal quanto o próprio instinto humano; que ter várias parceiras sexuais é uma estratégia arraigada ao gene, a fim de garantir a propagação da espécie humana. Eu costumo replicar dizendo que as mulheres, ou ainda melhor, os seres femininos compartilham do mesmo altruísmo sexual que a contraparte masculina. Sexo é apenas uma função reprodutiva comum entre grupos animais. Quanto mais sexo entre homens e mulheres, maiores são as chances estatísticas de conceber descendentes. A recíproca é, portanto, verdadeira.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s