Divagando Devagar

Divagações ocasionais de uma mente reflexiva.

Cada Um Com Seus Problemas! 23 julho, 2009

Filed under: Reflexão da Semana — INEFFABILE @ 2:38 pm

É incrível a necessidade que as pessoas têm de reclamar.

Ora, todo mundo reclama. Eu reclamo, tu reclamas, ele reclama… e por aí vai.

Mas, paciência tem limite, não é mesmo? Para todo mundo.

Sim, eu estou reclamando.

Uma reclamação aqui e outra ali ainda dá para aguentar, pois como ouvi uma vez “serve para apontar onde está o problema”. Porém, assumir reclamações como parte majoritária da personalidade é triste e é um saco!

Tem gente que não se toca disso e passa a vida a dizer:

“eu não tenho isso, eu não tenho aquilo…”

“ele/ ela fez isso contra mim…”

“nada dá certo…”

“as coisas estão muito difíceis…”

“eu não encontro um(a) namorado(a)…”

“eu sou muito só…”

“tô sem grana, tô sem trabalho…”

“não tenho vida social, eu só trabalho…”

“esse lugar é horrivel…”

“eu não tenho tempo…”

“eu estou cansado(a)…”

“eu não gosto disso, eu não gosto daquilo…”

É muito “EU” seguido de negatividade, de negação e de privação. O que o povo não entende (e essa lição eu aprendi faz mais de uma década) é que ‘a palavra tem poder’. E tem mesmo! A gente começa a se privar da felicidade através da boca (e eu não estou aqui a falar de comidas ou de dietas). Muitas coisas boas acontecem quando a gente fala de coisas boas, quando se afirma coisas boas principalmente para si mesmo. Isso me faz lembrar daquela frase ‘querer é poder‘.

Mas, não é só a palavra que tem poder. Imaginem o poder que a consciência coletiva tem!

Noutro dia eu refletia sobre o fim do mundo e me toquei de que no mundo inteiro há milhares de pessoas aguardando o armagedom, o apocalipse, o fim da raça humana, um meteoro que vai colidir com a Terra, um terremoto que vai destruir parte do planeta e outra metade será engolida por um tsunami de mesma proporção, sem nem mencionar as pandemias que vão dizimar a humanidade! Pensamentos coletivos como estes de temor e de horror não podem gerar coisas boas, a não ser mais medo e mais horror.

Agora, imaginem um mundo com mais pensamentos positivos e menos (muito menos) reclamações. Imaginem o quanto poderiamos construir apenas com os nossos pensamentos, palavras, atitudes e emoções positivas!

O negócio é sermos pragmáticos e realistas. O mais importante é que o mundo ainda não acabou e que há chances fortíssimas de que ele não acabará amanhã ou na semana que vem.

Se temos problemas hoje, o ideal é focarmos nas possibilidades de solucioná-los; e se não houver uma solução possível, o ideal é focar em como conviver com esse problema bem ou da melhor forma possivel… porque a vida continua… até que um dia ela termine.

Ou você se adapta, migra ou morre“, já disse uma vez o mestre Avellar.

Voltando à questão das reclamações:

Há muitos anos conheci um daqueles caras super-safos e descolados. Com ele não tinha essa de ficar perdendo tempo com ‘nhem, nhem, nhem’ de ninguém. Uma vez ele disse de maneira curta e grossa: “cada um com seus problemas!”. Nem lembro a quê ele estava se referindo, mas na hora fiquei meio impressionada com a sua falta de ‘consideração’. Mais tarde entendi que o problema realmente não era dele e que ele já tinha bastante em seu próprio prato.

Desde aquela época adotei ‘cada com seus problemas‘ como uma das epígrafes da minha vida.

Eu quero ser o mais pragmática possível. E se preciso dar conta das minhas coisas, dar conta ao mesmo tempo das coisas dos outros vai fazer com que viver seja uma tarefa um pouco mais trabalhosa.

É por isso que:

Eu vou te ouvir e se você quiser, eu vou te dar a minha opinião. Mas considere que eu também tenho uma vida, que como toda vida, é cheia de eventos e de altos e baixos, ou seja, é cheia de vida!

Eu vou te ajudar se você me pedir ajuda e realmente quiser ser ajudado(a). Mas se você espera que eu solucione o seu problema, eu peço que você poupe o meu tempo. Na maior parte das vezes, a ajuda não chegará até você enquanto a ficha não tiver caído na sua cabeça. O processo começa em você e não em quem te dá a mão.

Cada vez que você despeja em alguém as suas reclamações, não importa o quão positiva a pessoa ouvindo seja, você vai sugar um pouco ou muito da energia dela. Então se toque de ante-mão que, você pode agir como um vampiro na vida daqueles que estão ao seu redor, sejam estas pessoas próximas de você ou não. Isso não é justo!

Vamos nos ajudar, vamos dividir, mas vamos ser conscientes sobre o que pertence a nós e sobre o que pertence ao próximo.

Cada um com seus problemas sim!

Compartilhe as soluções!

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s