Divagando Devagar

Divagações ocasionais de uma mente reflexiva.

Nascimento do Ícaro 20 outubro, 2011

Filed under: Grávida — INEFFABILE @ 3:15 pm

Faz dias que eu tenho vontade de compartilhar com vocês como foi o nascimento do Ícaro, mas só agora pude ligar o computador com a esperança de que terei tempo de passar pelo menos 10 minutos aqui sentada escrevendo!

(Pura ilusão! 3 dias depois…)

Desde que minha mãe chegou, eu tenho tido tratamento 6 estrelas! Com café da manhã e almoço na cama, e alguém para ficar de olho no Ícaro quando eu e Ray não estamos por perto. Está sendo uma ajuda preciosa!!!

Eu tive uma gravidez maravilhosa! Amei cada instante, especialmente as mudanças que ocorreram no meu corpo. Nunca curti tanto ter barriga!🙂

O Ícaro parecia estar apressadinho no final, mas resolveu esperar a chegada do nono mês para nascer.

No Domingo à noite (9/10/2011), após o jantar, eu comecei a sentir contrações e dores fortes no ventre. Relaxei um pouco para ver se passavam, mas, como elas continuaram, liguei para a maternidade e a parteira de plantão pediu que eu fosse lá para ser examinada. Após o exame, constataram que o colo do meu útero havia dilatado 2cm, significando oficialmente que eu estava em trabalho de parto. Como já sabíamos que o Ícaro estava sentado dentro da minha barriga, o jeito seria fazer uma cesariana. A parteira me disse que não sabia se a cirurgia seria naquela noite mesmo ou no dia seguinte. O que sabíamos era que não seria mais no dia de 18 de Outubro, como marcado na semana anterior!

A segunda-feira, dia 10, chegou e inicialmente haviam nos dito que a cirurgia seria às 10h da manha, mas devido a algumas emergências, a minha operação só teve início às 15h. Até lá, eu e Ray ficamos na suíte que nos foi dada na maternidade esperando e esperando… Eu estava ansiosa, mas não estava preocupada. Só me preocupei mesmo às 14:50h, quando me dei conta de que seria operada e que depois dali eu teria o Ícaro para o resto da minha vida! Que doideira! Naquela altura, além do Ray, estavam também conosco a Fiona (sua mãe) e Toby (irmão). A Gina e o namorado também estavam a caminho.

O Ray foi trocar de roupa para poder ficar comigo na sala de cirurgia e eu fiquei aguardando uma das parteiras vir me buscar. Às 15h em ponto, ela chegou e eu senti um tremendo frio na barriga!!! Entrei na sala de cirurgia sem o Ray, pois ele só poderia vir quando tudo já estivesse pronto para começar, ou seja, após a anestesia na espinha! Na sala de cirurgia havia um montão de gente, cada um com uma função diferente. Todos sorridentes e amáveis. Era um clima muito bom! Eu estava bastante apreensiva com relação à anestesia, mas confesso que eu nem percebi sua aplicação! O anestesista foi um verdadeiro amor! Ele e sua assistente pareciam ser de origem indiana ou bangladeshi. Super calmos, gentis e atenciosos. Conseguiram fazer daquela experiência assustadora algo muito positivo. Quando me dei conta, já não sentia mais as minhas pernas. Aquilo sim foi algo muito estranho!!! Em pensar que é assim que as pessoas paralíticas se sentem… ou melhor, elas não sentem! Como somos abençoados por sentirmos e usarmos as nossas pernas!

Com a ajuda da “tripulação” da minha cesariana, fui deitada na cama de cirurgia e preparada para o grande momento! Ao fundo tocava um CD que eu havia gravado para a trilha sonora do meu parto! A primeira música do CD foi ‘What a Wonderful World‘ de Louis Armstrong. Quando a segunda música tocou, o clima da sala de cirurgia ficou animado! Era “Magic Dance” do David Bowie no filme ‘Labirinto’, um filme que marcou muito a minha infância, das minhas irmãs e irmão. As parteiras e enfermeiras começaram a dançar e me disseram “Aline, mexe essas pernas e vamos dançar!”. O clima descontraído me ajudou a relaxar, embora a anestesia tivesse começado a fazer efeito no meu abdome e peito. Aquilo me assustou um pouco e quando o Ray finalmente foi autorizado a entrar na sala, a primeira coisa que ele ouviu foi eu dizer assustada “acho que vou desmaiar!”. Ele sentou ao meu lado, segurou a minha mão, enquanto o anestesista me dizia calmamente, essa sensação é normal e posso garantir que você não vai desmaiar. Um instante depois os cirurgiões olharam para mim e perguntaram “está pronta?” Eu disse que sim, com os olhos mais esbugalhados do mundo! Hehehehe…

Sem sentir dor, mas sentindo os médicos mexendo e me sacudindo por dentro, fiquei segurando a mão do Ray, conversando com ele e com os anestesistas e prestando atenção nas músicas. Finalmente, chegou a música de número 8, ‘Wave‘, de Tom Jobim, a primeira música a qual o Ícaro respondeu ainda dentro da minha barriga. Chorei de emoção nessa hora. Alguns minutos depois, os médicos pergutaram se eu estava pronta para conhecer o meu filho. Eu disse que sim e em um instante, ví o Ícaro sair de dentro de mim e ser levantado para o alto!! Foi indescritível!!! Ele nasceu ao som da trilha de ‘Imensidão Azul‘, com os olhos bem abertos e com o choro no mundo!!!

Os médicos cortaram seu cordão umbilical e o trouxeram até mim e Ray. Foi maravilhoso! Dalí, o Ray seguiu com o pediatra para cortar o cordão umbilical bem curto e colocar a primeira fraldinha nele. Depois, ele foi trazido até mim e ficou deitado no meu peito até o momento da sutura. Ele chorava muito e resolvi cantar para ele um mantrazinho que eu cantava para a barriga desde que descobri que estava grávida. Na mesma hora ele parou de chorar e aí foi a minha vez de desaguar em lágrimas, pois para mim era a confirmação de que ele me ouvia cantar aquela musiquinha todos os dias…

Ícaro foi entregue ao Ray e juntos foram aguardar por mim na sala de recuperação.

Sutura feita, foi hora de me liberarem para a sala de recuperação, onde reencontrei Ray e Ícaro e, em poucos minutos, Fiona, Toby, Gina e Francis vieram conhecer o novo membro da família. Eles trouxeram flores, presentes e cartões.

40 minutos após a cirurgia, eu ofereci a mama ao Ícaro e ele já mamou direitinho por 20 minutos. Eu adorei a experiência. Meia hora depois, fomos liberados para a área de recuperação pós-natal, onde ficamos até a quarta-feira, dia 12 de Outubro. Todo o tratamento e acompanhamento no hospital foram excelentes! Fui mimada e cuidada e nem parecia que era serviço público!

Ícaro nasceu bem pequenino, com 2.58kg de pura gostosura distribuídos em 47cm de comprimento. Hoje, 10 dias depois, ele está com 2.78kg!

048a

 

One Response to “Nascimento do Ícaro”

  1. […] começar, tenho que dizer que minha segunda gravidez foi bastante diferente da minha primeira. Como já havia passado pela experiência de engravidar, gerar e dar à luz há dois anos atrás, […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s