Divagando Devagar

Divagações ocasionais de uma mente reflexiva.

Sobre os Garis do Mundo 5 março, 2014

Filed under: Reflexão da Semana,Rotineiras — INEFFABILE @ 11:34 am

Uma vez, quando era ainda adolescente, justificava para o meu pai, durante o almoço, a razão pela qual os professores do meu colégio, assim como todos os professores da rede federal no país, entrariam em greve. A justificativa que disse a ele foi a mesma que havia ouvido da minha professora de história na sala de aula: “é uma vergonha estarmos (os professores) ganhando quase o mesmo que os garis da COMLURB (Companhia Municipal de Limpeza Urbana da Cidade do Rio de Janeiro)”. Eu lembro de que quando ouvi minha professora falar aquilo com tanta convicção, eu não tive nenhuma dúvida de que ela tinha razão e, claro, aquilo era mesmo um absurdo. Mas quando eu soltei aquela justificativa à mesa do almoço, meu pai indignou-se e me perguntou: “por que um professor tem que ganhar mais do que um gari?”. De cara, eu achei aquela pergunta ilógica, mas ainda assim não encontrei uma resposta plausível para dar a ele. Meu pai então observou que a profissão de gari era tão digna e importante quanto a profissão de professor e que ganhar quase o mesmo que um gari não era motivo para greve, e sim ganhar menos que o merecido. Ainda ressaltou que a tal greve deveria ser uma greve conjunta dos professores e dos garis, pois ambas as classes profissionais padeciam do mesmo problema: a desvalorização de seus papéis na sociedade refletida na forma de retribuição salarial insuficiente pelos serviços prestados à comunidade.

Aquela conversa me marcou profundamente, pois abriu meus olhos para: 1) meu preconceito com relação aos ‘lixeiros’; 2) o preconceito dos outros, inclusive dos educadores; 3) o papel de suma importância do serviço oferecido pelos garis à sociedade; 4) o pouco valor que a sociedade, de maneira geral, atribui a estes serviços tão essenciais.

Com o passar do tempo, o meu respeito por aqueles que carregam o lixo que eu e minha família produzimos diariamente, trabalhando em condições insalubres para manter a minha saúde e a dos meus, aumentou e muito! No ano passado, os garis da minha cidade entraram em greve durante uma semana inteira! As reivindicações deles eram bem semelhantes às dos garis cariocas. Não precisa dizer que a cidade virou um caos absoluto, além de absolutamente nojenta. As gaivotas e as raposas romperam os sacos cheios de lixo, espalhando a sujeira para todos os lados. Com o fim da greve, em apenas dois dias, a cidade voltou a ficar limpa e o odor de sujeira desapareceu. Esta foi a diferença que os garis fizeram: tornaram a minha vida e as de todas as pessoas na minha cidade mais agradáveis, saudáveis e leves. Esta é a mesma diferença que estes profissionais fazem em todo lugar!

Acho uma grande pena que o SEEACMRJ (Sindicato dos Empregados em Asseio do Município do Rio) não seja uma entidade representativa o bastante para consolidar a greve dos garis no Rio ou negociar de maneira amplamente satisfatória o fim da mesma.

Na minha opinião, garis, professores e profissionais da saúde ocupam o mesmo nível de importância em qualquer lugar do mundo, zelando, protegendo e cuidando do bem estar de todos. A estes profissionais, minha gratidão e respeito irrestritos.

 

One Response to “Sobre os Garis do Mundo”

  1. nadegedasilva Says:

    É sempre muito bom ler o que vc minha filha escreve, são muito coerentes as suas observações! Adorei saber que vc estar atualizando o seu blog. te amo filha, bjss.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s